8 de dezembro de 2017

Dias azuis


Dias azuis

toque de gelo
dedo em riste
sem desvelo
mundo em crise
real o novelo
enredado ao meio
sempre resiste
perdem-se os fios

lábios dourados
abrem-se fartos
sorriso mágico
alcança feridas
pega pela mão
insistentes dores
leva embora
madrugada da vida

sonhos rosados
amansam a fera
dias de resguardo
azuis, a esperam
horizonte prateado
caminho sem hera
com o sol no rosto
brindarão nova era.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário