1 de novembro de 2017

Tolerância Zero

Não posso dizer que sou uma aficionada por TV, não sou, esqueço o horário, se tiver que sair, saio. Não me prendo e acho muito engraçado quando vejo o desespero que alguns ficam por perderem 'o capítulo da novela' daquele dia, pois ia acontecer isso ou aquilo. E trazem as personagens para a vida, falam da fulana, do fulano com a maior intimidade. Eu entendo. Algumas pessoas precisam buscar nas histórias pretexto para suas vidas, sentir emoção. E ainda que não seja, como disse lá em cima, uma telespectadora, houve um momento em minha vida, na gravidez dos meus filhos, que eu 'achei' o canal Universal e dois seriados, em especial, marcaram essa minha época televisiva, o "House" e seu mau humor caricato (deixei de acompanhar quando eles apelaram para o sobrenatural, tentando aumentar audiência, foi além do que eu podia aguentar) e SVU, com a detetive Benson (conhecida carinhosamente por 'cabeção' entre a família) e o policial brutamonte, que já chegava acertando tudo na porrada. O que mais me interessava eram os enredos, as tramas, o suspense. Também deixei de assistir naturalmente. A vida chamou. Rotina. O tempo passou. Os filhos cresceram. Há pouco, entrei em contato outra vez com as 'novelas norte-americanas' e vi que a policial Benson e seu cabeção ganharam espaço. O policial bruto foi para o saco. Observei o "House", continuou o mesmo, ainda bem que agora mais real e menos fantasioso (embora os pacientes ainda precisem estrebuchar para depois serem curados...ou morrerem). Mas o que realmente chamou minha atenção foi uma série chamada Lúcifer. Mas bah! Caraca!  Quem acredita em Deus, entende a existência do Diabo. Bom, só para resumir o Diabo subiu à Terra (fazendo pirraça ao papai) e foi passar férias em Los Angeles (ahahah mas que baita clichê, criatura!). Ainda para piorar, o Diabo, em pessoa, é um almofadinha, barbudinho, péssimo ator, que acaba com a imagem que se tem do cramulhão, e que ainda se apaixona pela policial lambisgoia. Um enredo fraco, com Lúcifer sendo apresentado como um putanheiro da pior espécie, que 'fascina' as mulheres quando as olha nos olhos. Sim, ele encanta os homens também. Mas para falarem a verdade. Opa! Será que percebi algo de machista aí? A mulher, fraca, fica submissa e quer 'dar' para o Mal desesperadamente; o homem, ser forte, acostumado a mentir, fala a verdade, diz os seus piores pensamentos, os desejos proibidos, tudo para o amigo Lúcifer. Será? Bom, apenas para registrar. Quem ainda não viu, que deixe para lá!

A.Yunes

Nenhum comentário:

Postar um comentário