20 de novembro de 2017

Leito de Sorte



Leito de Sorte
.

Dos erros que não cometi
faço pipas de sonhos
vento leva às nuvens
espirais de abandono
enroscam-se entre si
e voam pra longe

bala de goma na boca
deixa a língua vermelha
dentes todos à mostra
e alguns cotovelos
na hora do lanche
nenhum sossego

faces coradas, cansadas
riso que dói a barriga
zunem bolas de barro
água jogada aos ouvidos

no fim, quando é noite
olhos agora fechados
mãos ainda se agarram
assim é o real amor
puro, num leito de sorte.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário