4 de janeiro de 2017

Mormaço

Mormaço

abro a janela
pingos me abraçam
quero ser breve
leve e calma
sentir o gosto
das revoltas
sorrir desgosto
amar essa troca
e o que importa?

abro a boca
recebo a chuva
fria, cativa
apaga o fogo
brilho da retina
no final do poço
há sempre uma dica
basta o nojo
sempre a bandida
ótima pedida?

abro os olhos
vejo pássaros
em outros voos
e sei que o mormaço
é o fim desse jogo.

Dhenova
04/01/2017

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog