5 de dezembro de 2016

Lunática

Lunática

Lua vira o rosto
nuvens a resguardam
colar no pescoço
abraço calado
sem aconchego
frio, sem mormaço
'ainda é cedo'
pensa a moça de preto
fisgada e anseio
buraco no peito
lágrimas densas
madrugada a dentro

estrelas perfumadas
carregam dados brancos
flor de pedra, talvez rosa

carregam mágoas secas
violetas douradas, roxas
sementes de jasmim... verde?

balanço de madeira
cabelos que dançam
fios dourados, vermelhos
derradeira menina
canta os sonhos
assovia... assovia...

água que escorre da face
ilumina como lanterna
veia do rio que nasce
rasa, mansa?.. sim, eterna.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog