Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

10 de outubro de 2016

Era do Gelo

Era do Gelo

Assim foi a saída
às escuras
tal qual bandido
roubou a lua
encardida e impura
assim foi a debandada
silente e fria
do pássaro de estrada
talvez chore mais que ria
da sua última piada
quando perceber
que a era do gelo
chegou de uma vez...

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário