12 de outubro de 2016

Choro manso

Choro manso

Há beleza na lágrima que surge no canto do olho, que se lança, corre pela face, rente ao nariz e morre nos lábios… ainda que o rasgo no peito pela lâmina branca doa, que a ardência lembre que as horas são poucas, ainda assim que eu aproveite mais uns instantes…
Há tristeza no sorriso que surge no canto da boca, arremedo de felicidade, as horas continuam poucas, cansei da eternidade… ainda assim que eu não me cale e possa te ver ao longe, tão soberbo e distante… espere mais uns instantes… sim, sim, as horas são poucas...
Há resignação no choro manso que se espalha pelos braços, e deságua no espaço exato do meu abraço… ainda que o sangue escorra pelo quarto, que a dormência lembre que a dor se extinguiu, que eu tenha aproveitado todos os instantes… é, chegou a hora de ir.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog