4 de outubro de 2016

Campos de Luz


Campos de Luz

quando me olhas, atrevido
cara deslavada, menino bonito
vejo em teu rosto, bandido
o mesmo desejo, cativo
e, ainda assim, permaneço
hipnotizada, sem dar um passo
fico parada…

quando sinto a mordida, de leve
em minha nuca, arrepiada
e o teu perfume vem, me pega
cativa e lerda, encantada
pressinto as tuas garras
sei que não é conto de fadas
mas continuo parada...

quando teu corpo me encontra
encosta, vibra, anseia
sinto tuas mãos em meus seios
teus dedos apertam os bicos
sei que vou enlouquecer de desejo
na dor que deixam teus dentes
esquecida fico dos vícios...

quando teu corpo me cobre
e cavalgas entre minhas pernas
ah, o meu gozo vem forte
 fico pasma, perplexa
com tal intensidade
meus olhos e os teus
mais e mais descobertas…

quando por fim vem teu gozo
instante de inesquecível energia
teus fluidos espalham-se dentro
gemidos saem de mim em agonia
capturada, sou refém, desfaleço
vejo-me em outro universo
e escuto tua potente risada
dizendo claramente: ‘sou eterno
e faço-te escrava...’

volto à realidade, ainda embaçada
vejo teus olhos num sonho
talvez seja apenas a madrugada
marcando na voz o seu tom
espero, ansiosa, minha cruz
fico pensando se foi a última vez
que alcancei os campos de luz.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog