Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

9 de abril de 2016

Mudança



Mudança

Andei por aí
abismada
com a mentira
essa danada
estraga a rima

ouvi o choro
lágrimas de crocodilo
não fiz caso
conheço o estribilho
refrão parco
perde o estilo 

andei cansada
de gente vazia
mal amada
e sem parceria
sílabas tortas
não fazem poesia

andei por aí
em plena mudança
acreditei em mim
com esperança
pouco importa o fim
o que vale é a confiança.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário