7 de dezembro de 2015

Vagalumes

Vagalumes

Geralmente, quando a fumaça do cigarro voa solta pela sacada e encontra o infinito escuro da noite percebo-me só, rodeada do perfume da rosa mais vermelha e há centelhas ao longe, bundinhas verdes que iluminam a grama recém cortada... a fumaça não alcança as bundinhas, é certo, nem tampouco arrefece o perfume... o quadro ainda não me toma inteira, mais uma tragada, mais longe o perfume, mais uma tragada, o cinza mescla-se ao verde e só... não chove, é noite de estrelas pontiagudas, deságua em mim o mesmo pranto de saudade, de uma outra metade que se foi e que não vai voltar, e esta água agita-se, escorre de mim, cobre a sacada, escorre pela viga... e chega à terra... ali infiltra-se e permanece. 

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog