26 de outubro de 2015

Depois do fim

Depois do fim

Há um vento frio da Lagoa
que entra pelas frestas
não é o Minuano que açoita
só o 'niño' que se apresenta
machuca, estressa, magoa

Há um vento ácido
diabólico, malvado... vento frio
resquício de maio, talvez de abril.

Há um céu azul cobalto
acima das nuvens cinzentas
há o calor vermelho do sol
quando ele aparece, assim, intenso

Há um céu azul tão longe
e um sol que some... sem segredos.

Depois do fim...

Há um sensível canto
inspirado ao redor da fogueira
que pode ser ouvido à noite
quando passa a bebedeira

Há uma canção apaixonada
dedicada à menina dos sonhos... agora amada?

Há um pássaro à janela
que me observa, espreita, atrevido
anda empinado, de lá pra cá
faz a corte, é simpático, extrovertido

Há um pássaro doce
forte, risonho... do lado de lá.

Dhenova
26/10/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário