8 de setembro de 2015

Tatuada


Orgia Tatuada

Tatuadas em minhas coxas as notas mais altas, escritas por um compositor meio louco, alguns dizem que era surdo, outros que coxo...  e quem delineou cada símbolo tinha como vício o verde senil dos conflitos, pássaro livre, velho e infantil... e as coxas ficaram tatuadas, com a canção mais intensa, prelúdio de tormenta, seu término bem junto à vulva,  as mãos que seguravam a partitura faziam movimentos circulares, dois dedos corriam soltos, molhados, e eu gemia de dor e de gozo. E quando as pernas se abriram, num estremecimento vívido, a rosa rubra sorriu aliviada, participara mais uma vez de uma orgia tatuada.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário