26 de setembro de 2015

Para encerrar...

Para encerrar...

Então, eu pensei
como as tais heroínas
eu iria sofrer
noites e dias
dores de prazer
de perder o grande amor
ah, certamente padecer
afogada na lama sem cor
sem disposição a concorrer
diluída num mar de horror
perdida, sem amanhecer
traída por esse rancor...

mas a trilha se mostra
bem-vinda e até prosa
quando pensei que morreria
finalmente te enxerguei
como alguém que não via
dispensei as minhas sinas
claramente eu sei
que não merecem afagos
seres pouco profundos, ralos

e agora
quando sentires a magia
do arrepio na pele
que vem da minha poesia
e que te toque de leve
saibas que o que me move
já não é, certo
o que vem de ti
e que não me comovem
tuas histórias gris.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário