27 de setembro de 2015

Mudo a rota



Mudo a rota

Quando a vida me basta
não crio empecilho
se não vejo solução
volto atrás e mudo a rota
vou atrás do que crio

já criei sapos e reis
fui algoz e refém
vítima e sacrificante
tentei enxergar além
mais ainda e adiante

nunca fui princesa
fiz muitas vilãs malvadas
engana-se quem pensa
que sou uma fada

já manipulei resultados
fiz o diabo
hoje declaro paz em mim
saio do rumo que insisti
faço rodopio no ar
eu posso, consegui

depois de muito esforço
dancei no asfalto escaldante
sei o quanto sou livre
como nunca fui antes.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário