30 de setembro de 2015

Entrelaçados em poesia


Entrelaçados em poesia

foi uma onda
que veio sem jeito
inundou meu corpo
me cruzou ao meio
infinita e plena
foi uma onda
vermelha

foi uma ventania
que arrancou pedaços
revolveu areia
desfez os laços
brindou meus medos
quebrou do coração o aço
foi uma ventania
cinza chumbo
metálico

foi um minuto ao sol
despidas as fantasias
seres nus ao arrebol
sem nenhuma sina
no amor ser algo mais
é não dobrar a esquina
foi um minuto
laranja escuro

foi um momento de harmonia
olhos e mãos presos na eternidade
corpos entrelaçados em poesia
provam o sabor da humanidade

quando a paz é infinita
nada prende a alma que grita
seja por emoção ou saudade
foi um momento azul
azul perfeito
ainda que falte realidade.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog