4 de agosto de 2015

Por do Sol

Por do Sol

Quando o mar beija a areia
e as ondas travessas
enrolam-se inteiras
na pedra lisa onde a sereia
assiste ao por do sol

surpresa ouço meu canto
homenagem ao colorido do céu
do horizonte sem breu

apaixonada, olho a água
sem correntezas,
mas não parada

encantada, esqueço a lida
e gente bizarra
mal amada

emocionada, vejo um rosto
e, na areia, pegadas.

Dhênova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog