Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

29 de julho de 2015

Fragmentos de um Poema

Fragmentos de um Poema

Quando o fogo se extingue
apaga-se a chama
sem chilique ou drama
é preciso pegar a bagagem
e silenciosamente
fechar a porta da frente
com suavidade...

lá fora, o universo queima
letras lançadas ao léu
sem tristeza, vou sem teima
procurar em outro céu
fragmentos de um poema
perdido em algum mausoléu
que me faça inteira
corajosa em meu batel.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário