4 de junho de 2015

Tua escrava

Tua escrava

Leia-me em braile
decifre meus símbolos
e me salve dos perigos
do iminente baile
que não fui convidada

busque-me sem demora
arranque-me de vez
dessa infeliz história
em que me enfiei
sem nenhuma glória

Leia-me nas entrelinhas,
nas letras tortas
Subtraia medos, manias,
desvende esconderijos
e me faça, sem temer represálias,
tua rainha e escrava...

Dhênova

Nenhum comentário:

Postar um comentário