8 de junho de 2015

Profecia



Profecia

Na manhã de primavera
o sol surgiu encantado
dissipou as trevas
aqueceu as águas do lago

as folhas tremeram
em frêmitos agudos
sacudiram-se nas árvores
e flores perfumaram
de modo absurdo
mais ainda os lares

a moça andava só
pela ardilosa mata
corriam os olhos
atrás de cada moita
das grandes raízes
de pedras soltas

buscava o rei perdido
ferido pelo cansaço
acorrentado e por fim banido
que precisava do abraço

assim, todos os sentidos
seguiam à procura
do vital conhecido
agia com bravura
sem perceber os perigos

não sabia a moça de tez escura
que ao norte havia soldados
fadados à eterna loucura
com certeza, no seu caminho
esquecida seria a brandura

e a profecia se fazia
de modo abrupto e triste
a donzela e as feras
naquela bela noite
de primavera...

a dama salva pelo rei
e as feras sendo mortas
começava mais uma guerra
como viriam outras.

Dhênova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog