10 de junho de 2015

Hino dos Pampas


Hino dos Pampas


Sou pássaro que voa até o monte
busco no pico o sentimento
solidão em ser descrente
não causa dúvida ou tormento

luzes coloridas marcam no horizonte
uma estranha linha do tempo
não sei do dia, ou da noite
sei apenas dos tragos e medos

ave que canta o hino dos pampas
não gosto de meias verdades
solidão e morte conheço, ambas
por isso espero só lealdade

sou livre para sonhar
com céus e borboletas amarelas
com jardins de flores brancas,
até templos ou bordéis
e também com minhas cenas
estou livre de mim
ainda que às avessas...

nasci sem asas
mas estou liberta
e sonho sim
com véus
e madrugadas,
com palavras amenas

nasci assim
e morrerei farta
de balas e rendas
de emoções falhas
e de suaves tormentas.


Dhênova

4 comentários:

  1. Grata pela leitura, Cleusa, feliz com o comentário. Volte sempre. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Feliz sempre com tua leitura, amigo querido... se for 'hino' que seja dos 'pampas'. Beijo no coração

    ResponderExcluir