Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

17 de junho de 2015

Amizade


Amizade

Não espero grandes atos
daqueles que amo
quero só sinceridade
abraço quente e farto
sentir no toque a lealdade
de quem não é fraco

Cansei da má intenção
de pessoas que não amam
não sentem, enganam
mentem, sucateiam emoção
criam cenários, atraem os falsos
perdem-se a cada episódio

Não espero outra coisa que vida
de quem comigo convive
ter no peito a plenitude
crer que amizade existe
e ser amigo é uma virtude.

Dhênova

Nenhum comentário:

Postar um comentário