31 de maio de 2015

Quando as flores entristecem...

Quando as flores entristecem...

O dia amanheceu azul intenso
e os pássaros em revoada
entoaram o canto denso
valsaram de mãos dadas

o meio do dia chegou sem desafios
e o alimento foi colhido
pratos preparados com estilo
fizeram da mesa o capricho

a tarde veio assim reluzente
como sorriso de criança
e um perfume de rosas envolvente
traçou um caminho de esperança

mas a noite surgiu sem motivo
entristeceu as flores do jardim
sentimentos bons ficaram cativos
tudo preso a uma dor sem fim...

era a hora de matar os cravos
e plantar apenas jasmins.

Dhenova

29 de maio de 2015

Ao sabor do vento



Ao sabor do vento

Busquei paz no canto do pássaro
que cantava solitário
e vi que o sofrimento atrai
sentimentos desnecessários

Tirei de mim o peso das mágoas
raivas, ódios e rancores
minha bagagem é leve
optei por ser livre
e aceitar-me com minhas vestes

Das dores não fiz mais lamento
sou forte
como a correnteza do rio
que te cobre...

e pretendo viver assim
ao sabor do vento
que me move.

Dhenova

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog