.

Dos rios que não cruzei... não sei!

28 de dezembro de 2014

Andei

Andei

andei por saliências
ansiei os cortes
desfiz reticências
desafiei a sorte

corri nua, às cegas
expostas as chagas, cai na rua
descoberta
andei pesada... tão farta!

Passos pacientes
desenhos em linha reta
ainda que incoerente
deixei as portas abertas
fui eloquente, apaixonada
tonta à beça!

Andei a esmo
por trilhas vazias
perdi alguns dedos
ganhei em alegorias

andei por nada, fiquei por tudo
andei sem absurdos

Andei sorrindo à toa
fotografei sentimentos
guardei tristezas boas
quis algo mais que segredos
o sino dourado que soa
e publiquei meus medos.

Andei largando as dores
as pantomimas
quero ver outras cores
as que fogem à retina

andei sem parar, ainda ando
e não saio do mesmo lugar.

Dhenova
27/12/2015

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog