17 de novembro de 2014

Tristeza que inunda


Tristeza que inunda


E a tristeza inundou seu interior, 
como o vento gelado do inverno 
que entrava pelas janelas abertas 
do salão de festas 
daquela velha mansão... 

mas era quase verão!

E a melancolia se entranhou nas cores
o vermelho passou a ser vinho
o preto ficou cinza
num jogo de horrores
esmoreceram os caminhos
desenhados ficaram os dias

e as noites!

E a resignação foi marcada com tinta e água
o pincel apagou toda a arte
num ato inofensivo
paredes nuas dispensam em parte
a escolha desse ou daquele motivo
o que importa quem fica e quem parte
seus sentimentos ou vícios

sem sacrifícios!


Dhenova
17/11/2014

Um comentário: