7 de abril de 2014

Foi quando recebi flores...


Foi quando recebi flores...


pois é, nunca pensei, sequer aceitava
esta coisa toda, receber flores
não estava com nada, rosas então
nem me fala, meu grande trauma
não suportava...

pois é, fiquei sem ação, foi quando vi
ali na minha porta um buquê cor-de-rosa
envolto num plástico coberto de laços
e não acreditei no que senti
raiva, frustração, ternura, emoção?

joelhos tremeram, o nó na garganta
lembrei do passado, rosas amarelas
o poder de um mágico, tanta descoberta
a morte do amor, horas desertas
e quis jogar fora o pacote inteiro...

neste momento, da flor mais bela
a mais viçosa, a do centro
eu vi escorrendo uma gota transparente
que veio parar nos meus dedos
e fiquei imóvel, apreciando o momento

percebi que a menina dos sonhos
não, não estava enterrada
ela sentia o vento, o perfume
e da flor a vida não estava apagada
a mulher estava viva e recebeu flores
de alguém que se importava...

Dhenova
7/4/2014

4 comentários:

  1. Identidade do início ao fim. Tocou-me fundo mais este. Lindo, Dhe. Beijão.

    ResponderExcluir
  2. Ah, irmã, se te tocou fiquei mais do que feliz! Amo tu!

    Grata sempre pelo incentivo!

    Beijo imenso no coração

    ResponderExcluir
  3. Muito grata, amigo poeta, pela constante motivação!

    Beijão

    ResponderExcluir