26 de fevereiro de 2014

Sem passagem

(fotografia de Wasil Sacharuk)



Sem passagem


Ando abismada
com tanta criatividade
histórias fantásticas
em plena madrugada

ando vendo dois e dois
e achando até quatro
comendo feijão com arroz
e esquecendo da batata

ando estupefata
em viagem sem passagem
este falta de bagagem
coisa e tal que farta

ando rindo sozinha
apesar da imaturidade
sem essa de vida vazia
não aceito má sorte

ando certa do que quero
amor, sinceridade, carinho
nada menos do que isso
é o que espero do caminho.

Dhenova

25 de fevereiro de 2014

Ao meu modo

Ao meu modo

Má notícia não quero tão cedo
faço do meu ardor a grande viagem
na vida escrevo meu enredo
Sou dada a espionagem

deixei ao léo o falso segredo
o riso forçado e o choro contido
quero mais razão e menos bobagem
e quero a honrosa coragem
de viver sem ter morrido

A nostalgia enxergo no horizonte
em sua infinitude impalpável
Já não me iludo com a fraca certeza
Só busco no amor a constante beleza

Entrego a paixão ao instante
e, se sou errante em minha destreza,
ao menos, sou fiel à minha natureza.


(Dhenova & Michelle Portugal – 26/12/09)

24 de fevereiro de 2014

mais becos e muros...

mais becos e muros


vida passando
por becos
batendo
em muros
desfaz
segredos

medos

sedentos

sedes

sanguinolentas...

vida passando
por ruas
iluminadas
sol amarelo
num céu sem fumaça

vida
vida
vida

que
passa...

e para

tua poesia
desflora
o âmago
tua libido
cala-me
a boca
inaudível
desejo
fere e fere
sensações
nada amorfas

tempo

morte
morte
morte

talvez renascimento?

último lance
ou outro canto lamento...


Dhenova

SLS24/5/2011

Barcos de Papel

(imagem retirada da net)

Barcos de Papel


O gato preto
observa o relógio
acompanha os ponteiros
em voltas e voltas
a cabeça erguida
mas sem revolta

O pássaro no varal
encontra dois prendedores
na chuva que molha
eles balançam
à mercê do vento
entoando um canto

A lua invade a janela
ilumina recantos
encontra a mulher
fêmea misteriosa
sentada a um canto
ela olha a rua, dengosa
enquanto sorri
por puro encanto
acompanha a melodia
já sem nenhum pranto

Não enxerga
a estranha mulher
o gato envolvido com o tempo
o pássaro com sua melancolia
a lua por vezes aflita
ainda que tão bonita
nem tampouco os barcos
de papel
que descem pelas curvas
da sua cintura
e trazem no tom
azul escuro
a cura bendita
pra sua loucura.


Dhenova
16/02/2014

20 de fevereiro de 2014

Noites de Lua

(fotografia por Andréa Iunes)

Noites de Lua

Lua minguante
refez a prosa
trouxe no fio
beleza do agora
Lua nova
apareceu no ar
mais um ciclo
formoso cais
Lua cheia
redonda na arte
fez-se meia
buscou a metade
Lua crescente
mascarou a vida
procurou o dia
inspirou poesia.

Dhenova
16/03/2010

11 de fevereiro de 2014

Eu sei...


Eu sei

A chuva cai, fina e fria, e abre com maestria o último dia do ano... foi um ano de perdas, e ganhos, um ano incomum, tão densos foram os dias, que passaram, e passaram, e passaram... e deixaram marcas disformes naquele muro cinzento... isto, cinza, foi pelo cinza que comecei a escrever, foi pelo recorte que vi da janela, céu cinza chumbo, chuva em pingos magros, água em poças, que se espalham, se espalham, e forma rios... é o último dia deste estranho ano... e sinto a terra engolindo mágoas, banhando as sujeiras, tentando fechar as feridas e, confesso, tenho medo de represálias, alguns sentimentos não se reciclam, ou existem ou não... amanhã será o primeiro dia de um outro ano, o que sou me cabe no momento, amanhã eu não sei, e não preciso saber, isto me alivia, não quero o estresse de me conhecer inteira, sei de meus objetivos, tento ver as falhas e buscar o caminho, sei também que quase nunca consigo, mas tento, estou disposta a me reconhecer inclusive com todos os erros... quero a densidade desde que ela seja pura, quero mascar goma e fazer balãozinho pra vida, e dar muita risada no fim de cada dia... se não for assim, não tem que ser... a chuva ainda cai, fina e fria, e a manhã surge, escura... aqui o sol surgiu de repente... desfilou no quarto... sentou à minha frente... e agora preciso ir...

Dhenova
(jan/2012)