27 de dezembro de 2013

A Porta

A Porta

Não entendi a proposta
Esbarrei na resposta
E vi o mundo atrás da porta

Não busco mais o ardor
Esta coisa indecente, o amor
Quero a vida na janela, donzela

Não anseio o pecado
Minha dor? Posta de lado
Quero o belo e o singelo
O resto? Protesto? Não, encerro.

Não encontrei a alegria
Talvez esteja escondida na folia
Quero, então, a miragem da poesia

Não receio o contato
Tanto faz se é de fato
Quero o belo, o vasto, o eterno

Quero mais que o morno insano
Quero o desafio, secreto, humano
Quero a minha vida de volta
Quero sair detrás da porta.


Dhenova - janeiro 2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário