27 de novembro de 2013

Gravetos poéticos

Gravetos Poéticos

Voei alto, busquei estrelas
contei segredos à lua
retratei cenas cruas
voei alto, encontrei cometas

olhei para o horizonte
mas vi barcos afundados
mar bravo, areia quente
olhei para outros lados

plainei pela mata virgem
desviei dos troncos, folhas verdes
o balanço causou-me vertigens
e espalhei no ar sementes

senti do sul o frio
e o gelo do norte
acompanhei o curso dos rios
a solidão me fez forte

voei até o pico do monte
lá, aconcheguei-me na pedra
passei pelo processo todo
perder unhas, bico, penas

acordei, por fim, inteira
com o sol nos olhos
renascida, vi-me guerreira
pronta para outro voo

Então, voltei para casa
ninho de gravetos poéticos
na árvore mais nobre
descansei minhas asas, leve.


Dhenova
26/11/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog

Visitantes