26 de setembro de 2013

Eu sou poeta

Eu sou poeta

sou poeta das nuvens
abstratos sentimentos
em folhas virgens
escrevo os momentos

sou poeta da chuva
pingos frios que caem
barragem cheia e turva
prenúncio de tempestade

sou poeta do vento
vocábulos que voam na rua
busco no tempo
a emoção mais nua

sou poeta do sol
ardência viva na pele
atrás do arrebol
continuo indo, breve.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário