23 de maio de 2013

Súplica à musa, com Emanuel Lomelino

Súplica à musa, com Emanuel Lomelino


Da vil escuridão envolvente
onde, agrilhoado, sou o réu
quero libertar-me e imponente   
construir meu próprio mausoléu

Desejo que a lua crescente
mova-se rápida, leve no céu
enquanto a bruma, tão silente
fuja lépida do campo ao léu

Mostra-me, oh lua, luz brilhante
para sempre serás grande dama
de todas as minhas tolas manhas

Faz de mim, eterno caminhante
sem remorso nem pena ou drama
e ilumina minhas tristes façanhas.


Dhenova e Emanuel Lomelino
23/05/2013

Amador do Verso, blog do poeta http://amadordoverso.blogspot.com.br/

2 comentários:

  1. O caminho foi desbravado e esta parceria luso-gaúcha tem muito para dar. Uma honra entrelaçar minhas palavras com as tuas. Beijo Luso.

    ResponderExcluir
  2. O caminho já existia, é certo, faltava apenas desenhá-lo, e fazermos isso com nossas letras foi mais do que especial. Só tenho a agradecer, Emanuel.

    Beijo meu.

    ResponderExcluir

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog

Visitantes