Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

6 de março de 2013

Procura


Procura


Eu te procuro
no amanhecer
e fico buscando
o teu bem querer

Eu te procuro
no perfume das rosas
e fico imaginando
carícias de outrora

Eu te procuro
na imensidão das águas
e fico lembrando
das madrugadas

Eu te procuro
no brilho das estrelas
e fico querendo
teu corpo inteiro

Eu te procuro
mas nunca te acho
quando te encontro
me perco no vácuo.


Dhenova - maio/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário