Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

4 de janeiro de 2013

Sôfrego


SÔFREGO

S ensação conhecida
O h! delírio, delícia... vem
F az nascer o desejo
R eceba o meu beijo
E ncanta com teu aconchego
G esto único, sólido
O bservar, sorver, amar...

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário