Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

8 de janeiro de 2013

Se eu pudesse...


Se eu pudesse
seria o orvalho na folha
do verde mais verde
a mais perfeita, pequena

Se eu pudesse
seria a brisa nas flores
tão coloridas, de mil odores
doce carinho, feita de amores

Se eu pudesse
seria a tempestade
violenta, sedenta
na cor de amendôa

Se eu pudesse
seria água da fonte
corrente, tão persistente
de beleza tão clara

Se eu pudesse
seria a terra
firme, terna
de alma poética

Mas como sou fogo
apenas aqueço
mantenho a energia
sou feita de sol, cheia de vida.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário