Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

2 de janeiro de 2013

Os sonhos e uma canção


Os sonhos e uma canção

Foi numa tarde de sol e de chuva
que uma cinzenta nuvem escura
viu o grande amor nascer na rua
e deixar a doce prosa mais crua

Embaixo dos pingos, o delírio
um carrossel no mar de aflitos
e o beijo que selou o destino
marcou a cena forte do filme

Foi quando o amor criou raízes
na terra fincou seus encantos
fez da guerra entre as cruzes
a nova estabilidade num canto

E se ouviu nos universos inteiros
a canção mais linda num devaneio
e o tremor dos anseios mais plenos
apaziguarem as dores e os medos

Dhenova
09/02/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário