Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

2 de janeiro de 2013

Filha do Vento, com Lena Ferreira




Dhenova & Lena Ferreira em "Filha do Vento"
poema de Dhenova e Lena Ferreira
música de Wasil Sacharuk

mix e master de PandoraBox e Sacharuk
layout e edição de Sacharuk
apolostation 2012

Filha do Vento

Nasci poeta com o vento
alento para a vida minha
não vento só, não sozinha
poemo em cada momento

Cresci poeta com a chuva
Respingada nos quintais
Na água deslizo curva
Coração navega em paz

Crescendo, amadureci
o vento passou por mim
de novo; então percebi
princípio, meio sem fim

Amadurecendo, aprendi
A beber na água da fonte
O universo puro desenhei
Traço marcado no horizonte.

Dhenova e Lena Ferreira

2 comentários:

  1. Antológica! Se não me engano, nossa primeira; primorosa criação, de um bom gosto artístico invejável. Carinho especial por esta...Beijo, Brisa!

    ResponderExcluir
  2. muito especial... tudo!

    Beijo no coração, amiga!

    ResponderExcluir