.

Dos rios que não cruzei... não sei!

2 de janeiro de 2013

As Águas




As Águas


A água, essa filha primeira, nascida da fusão aérea, 

não pode renegar sua origem sensual
e, na terra, ela se mostra com celeste onipotência
como o elemento do amor e da união... 
não é em vão que os sábios procuram nela a origem de todas as coisas... 
e as nossas sensações, agradáveis ou não, não são nada mais, afinal, 
que as diversas maneiras do escoar dessa água original... 
essa água que existe em nosso ser. 
O próprio sono não passa do fluxo desse mar invisível, universal, 
e o despertar é o começo do seu refluxo.


Vós, as Águas, que reconfortais,

Trazei-nos a força,
A grandeza, a alegria, a visão!
... Soberanas das maravilhas,
regentes dos povos, as Águas!


... Vós, as Águas, dai sua plenitude ao remédio,

a fim de que ele seja uma couraça para o meu corpo,
e que assim eu veja por muito tempo o sol!


... Vós, as Águas, levai daqui esta coisa,

este pecado, qualquer que ele seja, que cometi,
esse malfeito que fiz, a quem quer que seja,
essa jura mentirosa que jurei... e não sei...



Letra de DHENOVA & CHEVALIER

Música de SACHARUK
gravado no CASAdoSOL e PandoraBox
para Audiverimus produções 2010
mix, master e record - Hercules, Sacharuk e PandoraBox
produzido por Hercules, PandoraBox, Dhenova e Sacharuk




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog