Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

30 de dezembro de 2012

Voando leve...


Voando leve...


Vim voando leve
asas quase paradas
procuro o cais, a chegada
continuo breve e nada sábia

vim voando no vento
entre correntezas sim
mas encontrei sentimento
lá no bosque, perto do fim

vim voando apaixonada
desci a corredeira
já sem mágoa sentida
enfrentei outra fogueira

vim voando lépida
e encontrei lago calmo
recolhi minhas asas
encontrei o meu bálsamo.


Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário