21 de novembro de 2012

Vai e vem


Vai e vem

Vai e vem dos cabelos
coragem certa
no balanço dos anseios
o norte tem a seta

Vai e vem do quadril
sentida a base
roliço o ardil
mascara a nova fase

Vai e vem do vestido
abertas as pernas
o ar é partido
soltas as paixões eternas

Vai e vem e um grito
ao alcançar o ápice
num estranho, tosco rito
emoção abre passagem.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog