Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

26 de setembro de 2012

Se te faço um carinho


Quando a gente começa a escrever 'inho' e 'amo' em poesia, talvez esteja mais do que na hora de repensar a escrita... 

este saiu sentido!


Se te faço um carinho

se te faço um carinho
não é pelo ego
essa coisa de 'inho'
me tira o sossego

e não é pela gana
esta tão arraigada
essa história de lama
já varou madrugada

também não é pelo laço
este medonho se fez
enraizou os pedaços
sozinho em sua mudez

e certo, também
não é pela harmonia
esta que invade os poros
conquista na poesia
estes versos tão tortos

se te faço um carinho
é porque ainda te amo
não importam os ninhos
quando o que existe
é plano.


Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário