Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

12 de setembro de 2012

Por sobre o picadeiro

Alguns espetáculos podem ser considerados bizarros quando o público é mais sensível, todavia, quedas maiores, até quando mortais, deixam cicatrizes profundas e também ensinamentos permanentes, seja pra quem fica ou vai...




Por sobre o picadeiro


E os trapezistas voavam
faziam um bailado
regido pelo amor

entrelaçados
entre braços e pernas
olhavam-se alados
por sobre a plateia

desatenção do destino
enfraqueceram-se as cordas
liberaram-se tortas
pela madeira em anil

o balanço voou solto
perderam-se os nós
desataram-se de si
e ficaram jogados
à suavidade da brisa

cortaram-se os laços
e os trapezistas
voaram  tão alto...

por um instante
queda vertiginosa
brilhos alaranjados
mostraram o céu como antes.

Dhenova
('Sobre picadeiros, palhaços e palhaçadas...')

Nenhum comentário:

Postar um comentário