.

Da fêmea que sou, ah, eu sei...

16 de agosto de 2012

Um sopro



Um sopro

e foi só uma sensação
como um sopro
uma lufada de emoção

e foi como se o vazio
não mais existisse
tudo como no início

e foi-se embora o medo
ficaram as coisas boas
esqueceu-se o arremedo

e surgiu a singela poesia
gritando no íntimo
mas realidade mostrou só utopia.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog