Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

12 de agosto de 2012

O tom mais próximo


O tom mais próximo...


Hoje comecei uma tela
com a cor do coração
pintei de amarelo permanente
todo o fundo de emoção

pintei de laca gerânio
muitas flores
sem desespero nos amores

pintei de gris de payne
toda a borda
e de violeta cobalto
o tom mais próximo

de repente...

esmoreci
as palavras
me chamaram
fiz que não ouvi

e quis também pintar de azul celeste
certos detalhes
mas saiu um esverdeado estranho
sem noção, sem cuidado

até que no final ficou bonito
a poesia pintada
no quadro feito na madrugada.


Dhenova - maio/2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário