Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

24 de agosto de 2012

Linhas Tortas


Linhas Tortas

e eu me pego outra vez
contando as horas
ânsia no íntimo talvez
lamento indo embora

e eu me encanto
com o teu pranto
descem da tua face
lágrimas grossas
e eu me entristeço
com minhas tolas rotas

e eu me encouraço
conto cada passo
que vai te levar de mim
no relógio sem fim
e sei do adeus
já cruzou a porta
e me perco nas infindas
tuas linhas tortas.

Dhenova
24/12/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário