.

Dos rios que não cruzei... não sei!

15 de agosto de 2012

Enquanto o tempo passa...


Enquanto o tempo passa...

enquanto passam-se as horas
aguardo a manhã do novo dia
a paixão arrefece com gelo
ainda que sinta tolo desejo
sei que novamente terei alegria
ao ter o abraço de um ser que ama
embora hoje a dor se mostre arredia

enquanto vejo a chuva lá fora
que cai redundante em pingos
percebo no ar o perfume
das rosas vermelhas já murchas
e longe estão meus anseios
trago no peito a doçura
espelho do amor de verdade
dos bobos que esperam candura
uma entrega sem maldade

enquanto passa o tempo
vislumbro o amor de outrora
não há mais ressentimento
procuro por dentro a derrota
tudo isso sem nenhum lamento
nada encontro a não ser eu mesma
mas não fecho as portas não
preciso encontrar de vez o meu eu

enquanto isso... tento ser feliz
à beira do abismo
esquecida dos vícios
sempre aprendiz.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog