.

Da fêmea que sou, ah, eu sei...

6 de agosto de 2012

Enquanto o sono não vem...


Enquanto o sono não vem

a noite chega sem luzes
não há lua cheia
vejo apenas as cruzes
e me enrosco na teia
de sentimentos abstratos
busco lá fora meu eu
e não há mais abraços
foi-se enfim o apogeu

a noite e seus calafrios
quero a coberta
mas desisto da cama
são tantos desígnios
fico em alerta
e se acende a chama

a noite e o desespero
sofrer por paixão
apostar em segredos
é persistir no erro
escondo o tesão
encho-me de medos

a noite e seu fim
olhar busca a janela
enquanto espero o sol
continuarei assim
como numa cela
ouvindo o rouxinol

enquanto o sono não vem.


Dhenova

http://www.dhenova.com/p/enquanto.html

2 comentários:

  1. Ah, amiga, esperas são aflitivas mas recompensadoras. Visceral este; tua marca. Amo! Beijo, Dhe!

    ResponderExcluir
  2. Imagino que tua espera tenha sido, amiga, e fico feliz demais por ti... amo quando gostas. beijo, irmã de vento e brisa.

    ResponderExcluir

Quem me acompanha...

Pesquisar este blog