Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

27 de julho de 2012

Folha Amassada


Folha Amassada

amasso a parda folha
de tontos, tolos versos
sei que é minha a escolha
redesenhar o universo

amasso também o lirismo
perdido entre tons abstratos
afasto-me de vez do abismo
em gestos livres e exatos

amasso o papel sem medo
e ele vai finalmente pra o lixo
insisto no traço de outro enredo
escolho viver sem suplício.

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário