30 de junho de 2012

Fera e Algoz

Fera e algoz


De repente, tudo ficou negro
algo de atroz partiu-me ao meio
fora de mim, cuspi o anseio
fera de algoz trouxe tanto segredo

de repente, caí no grande buraco
por satisfação cortei-me em pedaços
lá mesmo no fim, pedi um abraço
não, não me fiz de rogado, fui covarde, e só

um alvo tão fácil...

de repente, a noite ficou clara
e meu coração, palco de batalhas
gravou a emoção em couraças
escondeu atrás das cortinas as tralhas

de repente, luzes espalharam-se ao longe
nada de sonho dourado, apenas azul claro
amanhecer sem frescura, novo dia alaranjado
outra postura, sol quadrado, beleza no monte

branco e puro...

de repente, rostos foram redesenhados
imagens se misturaram, ontem e hoje
de repente, fizeram da cabeça o diabo 
e nada pude fazer pra acabar com o jogo

brando e duro...


e um algo tão frágil
ainda assim 
podou-me os medos.


Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário