17 de dezembro de 2011

Homem Fantasia


Homem Fantasia

Enquanto eu fico aqui
dentro de mim
e encouraço o dia
numa folhinha
busco também a imagem
eterna miragem
figura do retrato
justificada em cada ato
mas nada acho...

Lá fora, o vento açoita
e o fardo pouco importa
agruras são manhas
tristeza incomoda
e a outra face é morta
permaneço, então, sentado
pensativo e calado...

Lembro que fui homem de barro
homem de argila
até metal... e fantasia
hoje sou feito de areia
em constante mutação
não quero chegar a concreto
isto não...

Talvez, no fundo, eu seja apenas
só mais um embuste
mais um desses casos
que empobrecem a poesia
só mais um estardalhaço
sem conteúdo ou magia.

Dhenova
27/11/2009


Meu novo blog: http://a-yunes.blogspot.com/

2 comentários:

  1. Dhenova

    Que bom se todos os "embustes" escrevessem como você! Poema sensacional.


    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. .
    Grata, Mi, se gostas fico feliz...

    bom findi. beijinho.

    ResponderExcluir