Páginas

27 de outubro de 2011

Devolva-me

.
Devolva-me

Devolva-me a paz de espírito
aquela que perdi
quando toquei teus dedos

Devolva-me a brisa fresca
esqueça o anel de ametista
e toda esta briga besta

Devolva-me a verdade
seja ela crua ou farta
e me ame ao quadrado

Devolva-me as lágrimas
pelo meu 20º adeus
e livre-se das amarras

Devolva-me a paixão
sinta-me no íntimo
é só o que preciso

Devolva-me a magia
que só tua voz alcança
venha, e cante poesia

com ou sem aliança.

Dhenova

18 de outubro de 2011

Solstício

Solstício

vem e voa alto
vamos tocar os picos
buscar inspiração
sentir o ar gelado
ver outro lado
sem qualquer motivo

vem e voa alto
percorre o caminho
conduza-me na viagem
que eu te dou abrigo
minhas largas asas
azuladas
serão teu destino
até o final do solstício
de inverno.

Dhenova

E se uma lágrima sorrisse?

E se uma lágrima sorrisse?

Poderia acontecer, uma lágrima sorrir
ao cair da face pálida, no luar de abril
poderia acontecer, outra vez eu te ter
braços abertos, abraço apertado
poderia acontecer, um coração pleno
desejo imenso, olhar claro
poderia acontecer, mãos entrelaçadas
no amanhecer, corpos colados
poderia acontecer, tanto cansaço...
tudo isso se uma lágrima sorrisse
ao cair da tua face no luar em abril.

Dhenova
19/1/2011

BEBENDO DE SUA ÁGUA

Bebendo de sua água


Bêbada, eu gritava
enviava à lua
bravos uivos aflitos...
Em sua água
nadei mares vadios
Deixei marcas circulares
o coração vazio

Distante, no entanto
encontrei a razão

Servi pratos rasos
uma, duas paixões
até que cansei...

Agora, eu busco
gotas quentes, chuva
um momento novo
a conquista do sonho.

Dhenova

Visitantes