Faço versos com o vento, areia do deserto; minha densidade eu mesma aguento, não sou sexo frágil; imaturidade não concebo, indiscutível é o intento, todavia, quando a maré é alta, o poema sai aos avessos, meio sem forma, mas no conteúdo, ah, ele arrasa e não deforma.

27 de setembro de 2011

Busca do Amor



BUSCA DO AMOR
.
na ponta da copa
sutil esperança
nota mais alta
inventa a dança

na ponta da copa
mensagem banida
respeita e abriga
nova partida

na ponta da copa
o voo do vento
espalha na borda
desenhos do tempo

na ponta da copa
presente dos céus
vai longe a derrota
são tantos anéis

na ponta da copa
a direção certa
semente que brota
de forma sincera

na ponta da copa
pousa o beija-flor
busca na volta
pólen do amor

Dhenova

Nenhum comentário:

Postar um comentário